09/06/2008

Presidente da APAF considera que a arbitragem não fica posta em causa

O presidente da APAF, António Sérgio, considerou hoje que a condenação de 26 juízes pelo Conselho de Disciplina da Federação “não abala a credibilidade e dignidade” da arbitragem, porque estes “não são representativos” da classe. “A arbitragem portuguesa não fica posta em causa. Não há qualquer árbitro internacional condenado e da Liga há apenas um, o Rui Silva. Penso que os árbitros em causa não são representativos”, disse António Sérgio, em declarações à Agência Lusa. António Sérgio afirmou desconhecer o “conteúdo” das acusações, mas estranha que só tenham sido condenados árbitros e que “só agora tenham remetido os processos [relativos aos dirigentes] para a Liga”, sublinhando: “Parece que são só os árbitros que estão em causa…”. O dirigente da APAF congratulou-se por “finalmente terem sido conhecidas decisões, passados quatro anos”, mas colocou sérias reservas nas punições de árbitros com base no recebimento de ofertas – “apitos em ouro” -, por tal “não estar previsto nos regulamentos”. “A maior parte dos casos são de árbitros que não escreveram no relatório que tinham recebido as ofertas. Ora, no caso da UEFA, os árbitros não são obrigados a declarar ofertas até 200 francos suíços, mais ou menos 150 euros, e os apitos valem muito menos do que isso. Até é bom que agora sejam obrigados a declarar tudo, pins, galhardetes, o que quiserem, mas isso é para o futuro, não para o passado”, referiu. fonte: OJOGO

Um comentário:

  1. Amigo Ricardo, ele pode achar o que quiser, mas que já está posta em causa, já... e a muito//

    Abraço

    ResponderExcluir

Após submeter o seu comentário, este será aprovado pela administração antes de ser publicado.